quinta-feira, 30 de agosto de 2012

Sermão - "Nosso socorro está no nome do Senhor, criador do céu e da terra." Salmos 124:8



Leitura: Salmo 124    
Texto: Salmo 124      
                
Amada Igreja do Senhor Jesus Cristo.

Todos nós estamos familiarizados com o último versículo do Salmo 124. O verso 8 diz: “O nosso socorro está em o nome do SENHOR, criador do céu e da terra”. Nós acabamos de confessar essas palavras no início deste culto e de todos os cultos solenes a Deus. Essa é a primeira parte do nosso culto a Deus onde a congregação responde a pergunta: amada Igreja do Senhor Jesus Cristo, onde está o nosso socorro? E a Igreja responde: “O nosso socorro está em o nome do SENHOR, criador do céu e da terra”.
Geralmente em todas as epístolas do Novo Testamento inicia-se com uma saudação. E estas epístolas eram lidas nas reuniões das jovens Igrejas cristãs e isso pode ter resultado na aprovação da presente ‘saudação’ como o início de cada culto. De qualquer forma encontramos uma ‘saudação’ no início de um culto na Igreja muito cedo na história da Igreja. Porém, mais tarde, o chamado “votum” foi introduzido: o clero entrava na Igreja e a congregação cantava um hino ou salmo “de entrada”. Depois disso, o sacerdote virava-se para as pessoas com uma “saudação”.
Quando a liturgia foi estendida mais e mais, o sacerdote tinha que executar todos os tipos de cerimônias antes que ele pudesse iniciar o seu real trabalho. Uma dessas cerimônias era a confissão de seus pecados pessoais e uma oração de perdão e purificação. Esta oração, então, começava com as palavras: “O nosso socorro está em o nome do SENHOR” e um dos assistentes respondia dizendo: “Criador do céu e da terra”.
Esta é a origem do início tradicional dos nossos cultos: primeiro o “votum”, então a “saudação”.
Porém, os reformadores entenderam que estas palavras não se aplicam ao ‘clero’ somente, ou seja, os líderes e sim a toda a congregação. Assim desde aquela época a Igreja de Cristo começa seus cultos com os ministros da Palavra perguntando: “amada Igreja do Senhor Jesus Cristo, onde está o nosso socorro?” E a Igreja respondendo: “O nosso socorro está em o nome do SENHOR, criador do céu e da terra”.
Esta é uma tradição muito boa e útil. Agora, o que realmente acontece quando o ministro fala essas palavras: “amada Igreja do Senhor Jesus Cristo, onde está o nosso socorro?” E a Igreja responde: “O nosso socorro está em o nome do SENHOR, criador do céu e da terra”?
Irmãos, a nossa resposta como Igreja de Cristo é retirada do Salmo 124. O Salmo 124 é um dos salmos dos degraus que era cantado provavelmente na Casa do SENHOR. Este é um Salmo de agradecimento. É um Salmo onde os israelitas estão agradecendo ao SENHOR, o Deus da aliança. Agradecendo o que?
Então, vamos analisar este agradecimento dos israelitas e entendermos porque nós professamos no início dos nossos cultos este Salmo.
O Salmo 124 começa assim: “Não fosse o SENHOR que esteve ao nosso lado, Israel que o diga”. Estas palavras dão a ideia de que Israel estava em apuros e correndo perigo de vida. E foi neste momento que o SENHOR se fez presente no livramento de Israel. Preste atenção que em todo Salmo o nome usado para o nosso Deus é o nome ‘SENHOR’. Este é o nome que o SENHOR usa como o Deus da aliança. O mesmo Deus que fez uma aliança com Israel e prometeu estar presente com Israel em todos os momentos de dificuldades. O Deus que prometeu libertar e livrar Israel de qualquer sofrimento e perigo.
Davi sabe muito bem como o SENHOR se fez presente tanto em sua vida como na vida de todo o Israel. E tanto ele como Israel eram testemunhas de como o SENHOR estava presente na vida dele e dos israelitas. Por isso ele diz: se “não fosse o SENHOR que esteve ao nosso lado, Israel que o diga”. Davi não diz qual livramento especifico foi que o SENHOR ajudou e não sabemos qual evento ele está falando. Mas, uma coisa é certa: o SENHOR, o Deus da aliança ajudou Israel assim como a Davi contra o perigo.
Talvez Davi não esteja falando de um evento especifico e sim dos eventos até a presente data que ele escreveu este Salmo. E provavelmente deve ter sido isso o que ele tinha em mente. Qual era o perigo? O verso 2 do Salmo 124 diz: “não fosse o SENHOR, que esteve ao nosso lado, quando homens se levantaram contra nós”. Israel era uma nação que constantemente foi perseguida por homens ímpios e com sede de sangue. Homens que queriam destruir Israel. Como se diz: “o homem é o lobo do próprio homem”. Os versos 3-4 descrevem a violência com a qual os homens vieram contra o povo de Deus. No verso 3 diz: “nos teriam engolidos vivos, quando a sua ira se ascendeu contra nós”. Os inimigos de Israel se levantaram com sua ira violenta de tal modo que eles vieram como animais famintos a fim de acabar com suas presas, engolindo-as; também descreve a fúria dos inimigos como a violência de muitas águas que vem arrastando tudo em seu caminho e matando tudo que tem vida. Assim são os inimigos de Israel.
Mas, qual o motivo dessa fúria contra Israel? E a resposta é nenhum! Os povos da terra não têm nenhum motivo para destruir Israel. Mas, ao mesmo há um motivo e o motivo era porque Israel servia ao SENHOR; era o povo do Deus da aliança. Este mundo não suporta os servos do SENHOR; não suporta o povo de Deus e nem o seu reino. Por isso há esta ira contra aqueles que vivem para Deus. Há uma divisão neste mundo desde a queda do homem em pecado. Neste mundo há os filhos da serpente e os filhos da mulher. Os filhos da serpente trabalham para destruir os filhos da mulher. Por esse motivo os ímpios odeiam os filhos de Deus que vivem conforme a lei de Deus, que confiam no Deus da aliança.
Irmãos, nós vivemos em um mundo onde as pessoas confiam em sua força, habilidade, dinheiro e muito mais. Um mundo aonde as pessoas buscam depositar sua confiança em algo que não tem vida. Como diz o Salmo 20: “Uns confiam em carros, outros, em cavalos...”. Assim é o mundo ao nosso redor. Confia em si mesmo e na sua força e riquezas. Porém, a Igreja confia no SENHOR. Porque o SENHOR livra os seus do perigo da morte.
Pense quando Israel estava no Egito sofrendo debaixo do terrível julgo dos egípcios; como os egípcios tentaram matar todos os filhos machos que nascessem dos israelitas; pense como Deus salvou milagrosamente Moisés estando escondido por três meses e fazendo com que a filha de faraó cuidasse dele e sua própria mãe servisse de babá. Depois de Moisés já homem feito foi chamado pelo SENHOR para libertar seu povo do sofrimento e do perigo de morte; como o SENHOR demonstrou o seu poder no meio dos egípcios. Quando faraó e seu exercito foram atrás dos israelitas, o que aconteceu? Foi o próprio SENHOR que se fez presente na batalha e dando livramento; abrindo o mar vermelho e matando os egípcios. E durante o êxodo dos israelitas, o SENHOR se mostrou sempre um Deus presente no meio do povo. Ele de fato é o Deus da aliança que prometeu estar presente no meio do povo e na vida do povo, e é isso o que Ele faz; durante o êxodo deu água e comiga ao povo; cuidou das roupas e dos calçados; saciou todas as necessidades dos israelitas.
Quando o rei Balaque contratou Balaão para amaldiçoar a Israel, quem veio ao socorro de Israel? Foi o SENHOR, o Deus da Aliança. Quando Israel foi atacado pelos filisteus, quem veio socorrer Israel? Não foi o SENHOR que veio socorrer? Sim, foi Ele quem mais uma vez trouxe livramento para o seu povo.
Quando Israel chegou na fronteira de Canaã, quem lutou por Israel na conquista da terra? Não foi novamente o SENHOR que foi na frente e destruiu os cananeus? Sim, foi o SENHOR Deus. Depois da conquista da terra prometida, quem livrou Israel do julgo dos seus inimigos? Irmão, a resposta é simples e confortadora! Foi o Deus da aliança que salvou seu povo da morte.
Davi sabia destas histórias e cria nelas. Porém, ele também experimentou em sua própria pele o livramento do SENHOR. Nós podemos pensar na sua luta contra Golias; quando foi perseguido dia e noite por Saul; quando sentou no trono vemos vários inimigos tentando conquistar o reino de Israel; esses inimigos vindos como animais ferozes para destruir Israel e seu rei Davi; vemos também Absalão, seu próprio filho, tentando matar o seu próprio pai para tomar-lhe o reino.
Em tudo isso tanto Davi quanto Israel provaram em primeira mão a fúria dos seus inimigos vindo com sede de sangue para destruí-los.  Então, Davi em nome de Israel diz no verso 6 do Salmo 124: “Bendito o SENHOR, que não nos deu por presa aos dentes deles”. Tanto Davi como Israel sabiam que seu livramento era uma prova da bondade graciosa do SENHOR Deus. Eles sabiam que estavam vivos por causa da bondade do SENHOR. E é isso que nós vemos nas Sagradas Escrituras sobre a bondade do SENHOR na vida do seu povo amado. Por isso Davi está chamando a Israel para agradecer ao SENHOR pelos livramentos recebidos. Como ele diz no verso 7: “Salvou-se  a nossa alma, como um pássaro do laço dos passarinheiros; quebrou-se o laço, e nós nos vimos livres”. Realmente, o SENHOR é bom e sua misericórdia dura para sempre! Israel tinha muitos motivos para agradecer a Deus e, é isso que ele está fazendo aqui na Casa do SENHOR. Pois ele se tornou um povo livre da opressão dos outros povos; tornou-se livre do pecado para adorar ao SENHOR; tornou-se o povo de propriedade particular do SENHOR. São tantas bênçãos recebidas que eu não consigo mencioná-las todas.
E, é exatamente em meio a esses livramentos que Israel confessa sua fé no SENHOR, o Deus da aliança: “O nosso socorro está em o nome do SENHOR, criador do céu e da terra” (Salmo 124.8). Israel sabia através da revelação que o próprio SENHOR é o seu Deus. Esse Deus da aliança é o criador do céu e da terra. Foi esse Deus a quem Israel servia que formou a terra e o céu com apenas a sua palavra. É este mesmo Deus que criou e até hoje sustenta todas as coisas com seu poder soberano. Israel aprendeu a confiar nas promessas do SENHOR e a viver em total dependência dEle. Foi vivendo desta maneira que Israel aprendeu que o SENHOR, o Deus da aliança, Criador do céu e da terra, está sempre presente nos momentos mais difíceis da vida de seu povo amado. Por isso essa confissão que diz: “O nosso socorro está em o nome do SENHOR, criador do céu e da terra”, expressa confiança nos cuidados do SENHOR na vida do povo. Israel não precisa confiar em sua riqueza e nem em sua força militar; também não precisa confiar nos homens e no poder deles. Israel precisa confiar no SENHOR, o Deus que estar presente em todos os momentos da vida de cada membro do povo.
É fé no SENHOR que leva pecadores como Abraão, Isaque, Jacó, Sara, Raabe, Gideão, Jeremias, Samuel, Davi e muitos outros a andarem com os olhos da fé. A entregar suas vidas nas mãos do SENHOR com uma confiança inabalável. Uma confiança em saber que o SENHOR estará lá para ajudar nos piores momentos de suas vidas. Foram esses fatos que levou Israel a dizer que se não fosse o SENHOR que se fez um vigia em sua vida, ele teria morrido; os inimigos teriam destruído Israel. Por isso Israel declara sua fé e confiança dizendo: “O nosso socorro está em o nome do SENHOR, criador do céu e da terra”.
Agora, por que nós confessamos essas mesmas palavras: “O nosso socorro está em o nome do SENHOR, criador do céu e da terra”?
Irmãos, nós confessamos essas palavras porque cremos no mesmo Deus. Cremos que esse Deus também nos ajuda nos momentos mais difíceis de nossas vidas. Nós só precisamos olhar para nossas vidas e vermos como o SENHOR tem nos ajudado até agora como seu povo. Em todos os momentos de nossa vida Ele sempre esteve presente, mesmo que nós nunca tenhamos prestado atenção no cuidado amoroso do SENHOR.
Pense no que o SENHOR fez por nós. Por amor de sua igreja, Ele enviou o seu Filho amado a este mundo pecaminoso. Jesus Cristo não veio a este mundo para nos livrar apenas dos homens que se levantam para tentar nos matar. Ele veio nos livrar de um perigo eterno... o inferno. Nós nascemos destinados ao inferno por natureza. É o que cada um de nós merece. Merecemos sofrer eternamente porque pecamos contra a santa majestade do SENHOR.
Porém, aqui está o livramento do SENHOR em nossas vidas através de Jesus Cristo. Ele enviou seu Filho amado para morrer em nosso lugar e nos livrar da condenação eterna no inferno. Nós que merecíamos a condenação eterna, agora, por causa de Cristo, recebemos a salvação em Cristo.
Irmãos, esse livramento é que nos faz confessar a nossa confiança em Deus. Pois Ele nos livrou do maior de todos os inimigos: a morte eterna. É principalmente por esse motivo que nós confessamos que toda a nossa vida está nas mãos do nosso salvador, o Deus da aliança que nos salvou em Cristo Jesus. É através do nome de Jesus Cristo que há salvação. Como Pedro e João disseram: “E não há salvação em nenhum outro; porque abaixo do céu não existe nenhum outro nome, dado entre os homens, pelo qual importa que sejamos salvos” (Atos 4.12). É por esse motivo que nós ainda hoje confessamos a mesma coisa que Israel confessou há muitos anos atrás no início dos nossos cultos: O nosso socorro está em o nome do SENHOR, criador do céu e da terra.
Amém.
Sermão preparado pelo Pr. Alexandrino Moura, São José 22 de julho de 2012 d.C.
__________________________________________________________________________
Texto Bíblico:
Salmos


124.1   [Cântico de romagem. De Davi] Não fosse o SENHOR, que esteve ao nosso lado, Israel que o diga;


124.2   não fosse o SENHOR, que esteve ao nosso lado, quando os homens se levantaram contra nós,

124.3   e nos teriam engolido vivos, quando a sua ira se acendeu contra nós;

124.4   as águas nos teriam submergido, e sobre a nossa alma teria passado a torrente;

124.5   águas impetuosas teriam passado sobre a nossa alma.

124.6   Bendito o SENHOR, que não nos deu por presa aos dentes deles.

124.7   Salvou-se a nossa alma, como um pássaro do laço dos passarinheiros; quebrou-se o laço, e nós nos vimos livres.

124.8   O nosso socorro está em o nome do SENHOR, criador do céu e da terra.





Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário